• Giulia Kraft

DISCUSSÕES EXPLODEM E DIFICULTAM O CONSENSO PARA UMA SOLUÇÃO

03 de setembro de 2021


Giulia Kraft, Alice Serejo, Joyce Ribeiro - CSNU - 5a sessão


A 5ª sessão do Comitê de Segurança Nacional, iniciou-se neste domingo (3), dispondo em pauta o fim do bloqueio no território da Faixa de Gaza além de outras questões territoriais na Cisjordânia e a desmilitarização do Hamas, grande parte dos delegados estavam de acordo para com a Palestina quanto ao direito de retorno dos muitos palestinos que por questões como o muro, o bloqueio e os assentamentos foram expulsos. Israel repassa a ideia de que o grupo do Hamas deve ser desmilitarizado, em contrapartida Palestina questiona o motivo de tanta perseguição ressaltando que a situação dos palestinos vêm sendo de tratamento de segunda categoria para a população, como consequência da segregação e do Apartheid. Em meio às acaloradas emoções, o debate não moderado foi aceito e dois grandes núcleos surgiram, com polos palestinos e israelenses, para a elaboração de medidas para desmilitarização do grupo Hamas. Após discussões, o Reino Unido propôs a mesma ideia da desmilitarização de forma gradual e paralela, visando também o benefício para outras nações, contando com um exército para derrotar Israel, não de forma violenta e terrorista, a proposta foi bem aceita pelos delegados. A Palestina seguiu pedindo recursos para desenvolver sua economia, com um pedido aos Estados Unidos para lhe financiarem, usando como contraponto que assim não seria necessário ter um movimento de resistência.


Sendo que a divisão do território seria necessário para o fim do Apartheid, como também citado pelo chefe de estado palestino, Mahmoud Habas. Israel por sua vez, citou: “Não há forma de convívio pacífico com a nação palestina”, na qual a delegação dos Estados Unidos, o apoiou. Em discurso de contra ponto, delegado palestino, apontou que aceitam se os Estados Unidos sediarem e financiarem empresas e negócios palestinos, ressaltando que com estabilidade econômica os extremismos acabam. Em ressalva, conta: “viver em Gaza deve ser uma escolha, não uma imposição”, sendo que, “o bloqueio da faixa de Gaza fere os direitos humanos” e estão dispostos a boicotar o grupo Hamas.


A sexta sessão foi iniciada para decidir finalmente a divisão da ocupação do território da Palestina, refletindo sobre a separação das nações, em fim dos problemas sociais e estruturais. Palestina, em conjunto a Reino Unido, cita a possível separação do território da Cisjordânia para o surgimento de Jerusalém Oriental e Ocidental, porém nada se concretizou, e mesmo após muitas divergências, delegação palestina cedeu, aceitando a interferência dos militares estadunidenses e os britânicos em meio ao território da Faixa de Gaza. Em votação informal, todas as delegações apoiaram Palestina e Israel. Sendo assim, após muitas horas de discussão e "farpas” trocadas, o CSNU declarou paz, finalizando o debate com a leitura da Carta de Resolução pelos delegados da Arábia Saudita e Irlanda.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Durante o debate moderado: Israel: “As senhora gostariam de gravar em outro lugar?” Jornalistas: “não obrigada” Diretor Ig: “A mesa endossa então o início da redação da Proposta de ResoluCIÓN” Diretor

"O México dividia, divide e continuara dividindo a América Central" - México. "O senhor dispõe de...Peraí q a mesa é de humanas" - Mesa. "FUDEU, encerro meu discurso" - França. "A angola dispõe de um

Delegado da Coreia do Norte finalizando discurso: "e é sobre isso!" Índia ao iniciar discurso: "Minha delegacia declara:" Cuba afirma: "Não falarei mais sobre sanções econômicas, falarei agora sobre e